MotorDream

Lançamentos

Famoso por lançar superesportivos e modelos bem luxuosos, Salão de Genebra também mostra carros que virão para o Brasil

13/03/2018 09:23  - Fotos: Divulgação
Envie por email

Famoso por lançar superesportivos e modelos bem luxuosos, Salão de Genebra também mostra carros que virão para o Brasil

por Márcio Maio

Auto Press

Tradicionalmente, o Salão de Genebra sempre foi palco de apresentações de modelos luxuosos ou com uma carga extrema de esportividade. Neste ano, não é diferente. Ao contrário: as principais marcas do segmento premium ou de superesportivos reservaram bons lançamentos para o motorshow. Porém, nota-se em 2018 a presença de importantes modelos para o mercado automotivo global – incluindo aí o brasileiro, já que muitos dos automóveis expostos vêm para cá ou, pelo menos, já vieram em suas gerações passadas.

Entre os mais esperados para o Brasil, estão os SUVs BMW X4, Hyundai Santa Fe e Lexus UX. Os dois primeiros cresceram em relação às gerações passadas, sendo que o X4 se destaca tecnologicamente com uma central multimídia que aceita até comandos por gestos para ser operada, como já existe no Série 7. Já o Lexus é um modelo aparentemente muito interessante para o mercado brasileiro, em função do tamanho – são 2,64 metros de entre-eixos – e da motorização, que pode ser híbrida ou somente a gasolina, sempre com motor 2.0 litros. Sua vinda já está até confirmada e deve acontecer no Salão de São Paulo.

Monovolumes e peruas estão em baixa no mercado, mas nem por isso saíram dos planos de diversas fabricantes. A Citroën mostrou no Salão de Genebra o novo Berlingo, que ganhará versão de furgão no futuro. O modelo, assim como o C4 Cactus, passa a contar com os "airbumps" da marca na lateral, sendo possível até decorá-los em alguns tons de cores disponíveis. Já a Volvo levou a nova geração de sua perua V60, que também deve vir para o Brasil e é construída na mesma plataforma dos lançamentos recentes XC90, V90, S90 e XC60.

Quanto aos superesportivos, há bons representantes para a classe. A começar pela Ferrari 488 Pista, com seus 720 cv. A cavalaria, no entanto, é um pouco menor que a anunciada pela McLaren para a versão conceito GTR para o modelo Senna, criado em homenagem ao tricampeão de Fórmula 1 brasileiro. A Porsche também apresentou um conceito de esportivo, porém mais amigo do meio ambiente: o SUV Mission E Cross Turismo, com dois propulsores elétricos que entregam mais de 600 cv. Ainda no quesito desempenho, o Grupo Volkswagen mostrou o Ateca, primeiro lançamento de sua nova marca, Cupra, focada em modelos de performance que, até então, era apenas uma versão mais enérgica de modelos da espanhola Seat.

À Volkswagen, coube mostrar direcionar suas atenções a mais um conceito de modelo autônomo de sua linha i.d., o Vizzion, um sedã elétrico sem volante cujas portas se abrem em ângulo de 180°. A Peugeot também apresentou um novo sedã em Genebra, mas já em versão final: a nova geração do 508, que não deve vir para o Brasil. Ao contrário da quarta geração do Mercedes-Benz Classe A, que não só vem como também marca um grande avanço na marca alemã: traz central multimídia com, finalmente, tela sensível ao toque.

Confira alguns destaques do Salão de Genebra

 

BMW X4 A nova geração do modelo, que é uma versão cupê do SUV X3, ganhou 8,1 cm de comprimento, 3,7 cm em largura e 5,4 cm de entre-eixos, além de ter “emagrecido” 50 quilos. Na parte interna, o carro traz o novo painel virtual do X3, com 12 polegadas e uma central multimídia de 10,2, que responde por comandos por voz e até gestos no ar. Sobre o capô, pode vir motor 2.0 de 186 cv e 29,5 kgfm ou de 255 cv e 35,6 kgfm, ambos a gasolina. Há ainda duas opções com motor 2.0 diesel, de 192 cv ou 234 cv.

 

Citroën Berlingo A terceira geração do Berlingo aproxima mais o modelo das características típicas de um SUV, apesar de sua vocação comercial bem explorada em suas últimas duas gerações. O monovolume se alinha à identidade visual da marca, com o conjunto ótico frontal dividido em três camadas, e assim ganha uma aparência bem mais moderna. A nova plataforma, de acordo com a Citroën, possibilitou a adoção de 19 tecnologias de assistência à condução e quatro tecnologias de conectividade, além de carroceria em dois tamanhos, com cinco ou sete lugares. As vendas começam no segundo semestre e haverá dois motores, um a gasolina e outro a diesel. O primeiro é o 1.2 PureTech, capaz de render 110 cv com caixa manual de seis velocidades ou 130 cv com transmissão automática de oito relações, ambas com turbocompressor. A diesel, há um 1.5 com três potências possíveis: 75 cv, 100 cv e 130 cv.

 

Cupra Ateca A Volkswagen transformou uma linha esportiva de sua subsidiária espanhola Seat em uma nova marca. A Cupra é focada em modelos de performance, aproveitando o nome bastante conhecido. No Salão de Genebra, a nova marca mostra seu primeiro modelo próprio, o Ateca, uma perua com enormes entradas de ar na dianteira e várias entradas de ar na traseira, quatro saídas de escape e um pack desenvolvido para aguçar a esportividade do carro, com rodas avantajadas, pinças de freio Brembo, spoiler traseiro e espelhos retrovisores em fibra de carbono. O motor é um quatro cilindros 2.0 TSI de 300 cv, associado à transmissão automatizada de dupla embreagem DSG-7 e sistema de tração integral, com suspensão adaptativa de série e seis modos diferentes de direção: Normal, Sport, Individual, Snow, Off-Road e CUPRA.

 

Ferrari 488 Pista A variante mais esportiva da Ferrari 488 GTB carrega um poderoso motor V8 3.9 biturbo de 720 cv e 78,5 kgfm de torque. O propulsor faz do modelo o mais potente já produzido pela marca italiana na gama 488, com 50 cv a mais que a 488 GTB, a GTE e a Challenge, versões de corrida. A velocidade máxima fica em 340 km/h e a aceleração de zero a 100 km/h é feita em míseros 2,8 segundos, com seus 1.280 quilos a seco.

 

Hyundai Santa Fe A Hyundai aproveitou para estrear na Europa o novo Santa Fe no motorshow suíço. O modelo cresceu e agora mede 4,77 metros de comprimento, sete a mais do que antes. A distância entre-eixos também subiu, passando dos 2,70 m para 2,76 m. O porta-malas comporta 585 litros e o motor pode ser a diesel 2.0 de 150 cv e 182 cv ou 2.2 de 197 cv. A gasolina, há um 2.4 Theta de 185 cv, que trabalha em conjunto com câmbio automático de seis marchas.

 

Lexus UX Previsto para desembarcar no Brasil no último trimestre deste ano, o novo SUV da divisão de luxo da Toyota é construído sobre a mesma plataforma do Toyota Prius, a TNGA, e estreará novas motorizações do grupo: um conjunto híbrido com propulsor a combustão 2.0 e 178 cv de potência e um 2.0 a gasolina e transmissão CVT. São 4,45 metros de comprimento, 1,52 m de altura, 1,84 m de largura e 2,64 m de entre-eixos. No design, uma fileira com 120 leds se destaca na traseira, ligando as lanternas.

 

McLaren Senna GTR O McLaren Senna já era um dos carros mais surpreendentes fabricados no mundo. Não satisfeita, a marca apresentou no Salão de Genebra um conceito GTR do modelo, que insere mais força e agressividade ao superesportivo. São 825 cv entregues pelo V8 biturbo de quatro litros, que gera “apenas” 800 cv em seu modelo convencional. A suspensão por braços triangulares sobrepostos foi recalibrada e diversas modificações aerodinâmicas foram aplicadas. A fabricante chega a mencionar mais de mil kg de downforce em alta velocidade e que o Senna GTR é 50 kg mais leve que sua versão de origem. Para isso, foram retirados airbags, freio de mão, abafadores de escape e os vidros laterais, estes últimos substituídos por material plástico.

 

Mercedes-Benz Classe A A quarta geração do modelo chega com alguns destaques tecnológicos. O mais importante deles está no habitáculo, no console central: um novo sistema multimídia com duas telas de alta definição. Ao todo, a empresa oferece três versões. A primeira vem com duas telas de 7 polegadas. Na segunda, uma das telas passa para 10,2 polegadas. A última vem com as duas telas com 10,2 polegadas, ocupando todo o painel. A tela é sensível ao toque, mas também pode ser acionada através do console central. Como opcional, é possível acrescentar comandos de voz. O Classe A também cresceu 3 cm no entre-eixos 3 cm e 14 cm no comprimento. O porta-malas comporta 370 litros. Inicialmente, serão três versões: A200, com motor 1.4 de 163 cv; A250, com um 2.0 de 224 cv; e A180d, movida por um 1.5 diesel de 116 cv.

 

Peugeot 508 O sedã topo de linha da marca francesa ganha faróis finos e com luzes diurnas em leds na forma de adagas, porta-malas com capacidade para 487 litros – são 14 a mais que na geração anterior – e uma cabine um tanto futurista, central multimídia de 12,3 polegadas. Sistema de visão noturna, controle de cruzeiro adaptativo, faróis automáticos e frenagem automática de emergência estão entre os itens de série e os motores serão um 1.6 turbo a gasolina com 180 cv ou 225 cv, sempre com câmbio automático de oito velocidades, ou 1.5 e 2.0 diesel, de 130 cv, 160 cv e 180 cv, com transmissão manual de marchas ou automática de oito relações.

 

Porsche Mission E Cross Turismo a marca alemã surpreendeu o cenário automotivo apresentando em Genebra uma versão de SUV – mas com traços de cupê de quatro portas – do elétrico Mission E. Batizado de Mission E Cross Turismo, o conceito tem tração nas quatro rodas e mede 4,95 metros de comprimento. O conjunto de instrumentos é curvado e inclinado para o motorista e tem três mostradores circulares, exibidos digitalmente em telas TFT. Dois motores síncronos permanentemente acionados com potência de sistema acima de 600 cv aceleram o protótipo do zero até 100 km/h em menos de 3,5 segundos e o fazem alcançar 200 km/h em menos de 12 segundos. Suspensão pneumática adaptativa e controle dinâmico do chassi também estão disponíveis, assim como head-up display. A autonomia chega a cerca de 400 quilômetros com apenas uma carga rápida de aproximadamente 15 minutos.

 

Volkswagen i.d. Vizzion A tendência de cabine em clima de sala de estar, adotada na maior parte dos conceitos futuristas de veículos autônomos, é exacerbada no protótipo apresentado pela marca alemã no salão suíço. Com motor elétrico e planejado para ser produzido em até cinco anos, o modelo tem 5,10 metros de comprimento e não traz volante. O veículo conta com um assistente virtual que atende comandos de voz e de gestos é até capaz de aprender algumas preferências de seus ocupantes, a partir do uso de inteligência artificial. Para facilitar o acesso ao modelo, a porta de trás se abre na direção contrária, criando um ângulo de 180° para o acesso dos ocupantes.

 

Volvo V60 Construída na plataforma modular SPA, que serve de base apara os modelos XC90, V90, S90 e XC60, a perua ganhou visual mais elegante e alinhado à assinatura visual utilizada nos lançamentos mais recentes da fabricante sueca. Há duas opções de motorização híbrida – esta, aliás, é a primeira vez em que a combinação de motor elétrico e a combustão tem mais de uma opção na Volvo. As potências são de 345 cv ou 395 cv, mas estão previstas configurações apenas a gasolina ou a diesel, com potências entre 250 cv e 320 cv. A perua é maior que a anterior, com 4,76 metros de comprimento e 2,87 metros de entre-eixos. Há uma tela central de 12,3 polegadas sensível ao toque e a previsão é de que as vendas comecem no mercado europeu ainda neste primeiro semestre de 2018.

TRÂNSITO LIVRE

todos

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MotorDream - Rua Barão do Flamengo, 32 - 5º Andar - Flamengo
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22220-080
Telefone: (21) 2286-0020 - Fax: (21) 2286-1555

Copyright © 2018 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.932985, -43.176320
Webroom Soluções Interativas