MotorDream

Testes

Teste - Promovido a SUV, Peugeot 3008 Griffe aposta no custo/benefício para brigar com modelos médios

28/09/2017 11:17  - Fotos: Isabel Almeida/Carta Z Notícias
Envie por email

Teste - Promovido a SUV, Peugeot 3008 Griffe aposta no custo/benefício para brigar com modelos médios

 

Por Márcio Maio
Auto Press

A Peugeot trabalha, nos últimos anos, uma proposta de renovação de imagem da marca no mundo. A ideia é se posicionar de forma sofisticada e tecnológica em diversos segmentos, nivelando seus produtos sempre acima da concorrência e, com isso, transmitir um ar de exclusividade. No Brasil, os reflexos dessa política aparecem nos últimos lançamentos. Quando passou a produzir localmente o compacto 208 e o SUV compacto 2008. Em julho último, a estratégia alcançou o segmento de médios, com a nova geração do 3008. O modelo migrou de uma categoria mais urbana, de crossovers, para ganhar, de fato, ares de SUV. O modelo, importado da França, entrega tecnologia, acabamento superior e, na única configuração disponível, a Griffe, alia o bom espaço interno a um desempenho instigante, garantido pelo motor 1.6 THP que já equipa diversos modelos da marca.

Para adequar o modelo à categoria de SUVs, a Peugeot investiu em linhas mais fortes e que, além da robustez típica do segmento, transmitissem também a ideia de esportividade que o 3008 carrega desde o seu lançamento, em 2009. A grade traz detalhes cromados e a dianteira ostenta faróis recortados e reforços na cor prata sob os para-choques. De perfil, molduras nas caixas de roda e painéis de proteção nas saias laterais dão o toque mais rústico. E a altura em relação ao solo se destaca: são 22 cm.

O motor é o mesmo de antes, um 1.6 turbinado capaz de render 165 cv com gasolina – esse é o único combustível aceito pelo carro – e 24,5 kgfm de torque, estes já disponíveis em 1.400 giros. A plataforma, porém, mudou, o que fez com que o agora SUV da Peugeot perdesse 159 kg de seus 1.534 kg anteriores – restaram 1.375 kg. Na prática, essa redução de massa tornou o carro mais reativo, embora a ficha técnica tenha mudado muito pouco. Na verdade, só a velocidade máxima se alterou, passando de 202 km/h para 206 km/h. A mudança se concentrou na eficiência energética: o teste do InMetro revelou uma redução de cerca de 10% no consumo de combustível em ciclo urbano. 
 
 
A versão Griffe tem preço fixado em R$ 139.990 e entrega uma lista de equipamentos suficiente para colocar o 3008 na briga com configurações de topo dos concorrentes, como o Jeep Compass e o novo Hyundai Tucson. O interior traz uma combinação de cromados, alumínio, preto brilhante e couro, as rodas têm 19 polegadas, os faróis são full led e há seis airbags. Teto solar panorâmico, ar-condicionado automático de duas zonas, painel de instrumentos totalmente digital e até massageador nos encostos dos bancos dianteiros entram no pacote, além de chave presencial e os típicos controles eletrônicos de estabilidade e de tração.
 

Ponto a ponto
 
Desempenho – Desempenho não era um problema para o Peugeot 3008. Com isso, o fato do modelo ter mantido o mesmo motor 1.6 THP apenas a gasolina de 165 cv e câmbio automático de seis velocidades está longe de ser um demérito. Com 10% a menos de peso, o modelo entrega relação peso/potência de 8,3 kg/cv e, com seu torque máximo de 24,5 kgfm em baixas 1.400 rotações, a sensação de vigor é plena desde a arrancada. O zero a 100 km/h de 8,9 segundos e a máxima de 206 km/h se destacam. Até o volante, de tamanho reduzido, instiga uma direção um pouco mais agressiva. Nota 9.
 
Estabilidade – O 3008 se mostra extremamente neutro em curvas, com rolagens de carroceria extremamente suaves. Mérito da nova plataforma, que aumentou a rigidez torcional e reduziu o peso do modelo. O bom conjunto suspensivo, de desenho clássico – MacPherson na frente e eixo de torção atrás – também desempenha bem seu papel. É difícil fazer o controle de estabilidade entrar em ação. Nota 9.
 
Interatividade – Há um novo painel de instrumentos em LCD com 12,3 polegadas e quatro modos de exibição, que é visto por cima do volante – como acontece no 208 e 2008. Ao lado, no console central, há outra tela de 8 polegadas, sensível ao toque. Ali é possível acionar as funções do carro, como telefone, climatização e som, entre outras. Há massageadores para os bancos dianteiros, o que torna os percursos mais prazerosos. Há muitos comandos espalhados e não é tão simples se acostumar a eles no primeiro contato. Mas isso também em função de uma série de recursos oferecidos ao motorista. Nota 8.
 
Consumo – Na avaliação do InMetro, o atual 3008 obteve nova C no geral e na categoria, com médias de 11,5 km/l na estrada e 9,2 km/l na cidade. Para um carro de seu porte, não chega a ser um resultado ruim. Mas ele roda apenas com gasolina. Nota 7.
 
Conforto –Os bancos são bem ergonômicos e confortáveis. O sistema de massagem dos assentos dianteiros tem oito bolsas de ar que inflam e desinflam em várias sequências predeterminadas, o que propicia algum relaxamento aos ocupantes da frente. Apesar de não ser projetado para os solos desnivelados do Brasil, a suspensão filtra bem as irregularidades. O isolamento acústico é eficaz e o som do motor só invade o habitáculo quando se pisa com força no acelerador, elevando bastante os giros. Nota 9.
 
Tecnologia – A nova plataforma do Grupo PSA, EMP2, fez com que o modelo perdesse 159 kg em relação ao antigo. Há seis airbags de série, controle de estabilidade e tração, faróis full led, sensores de luz, chuva e de obstáculos dianteiro e traseiro e chave presencial para travas e ignição, entre outros itens. O motor não é novo, mas tem desempenho instigante e está bem longe de parecer ultrapassado. Nota 9.
 
Habitabilidade – Como de praxe nos SUVs médios, o acesso à cabine é favorecido pela boa altura. O habitáculo esbanja espaço para os passageiros, tanto para a área da cabeça quanto para a dos ombros ou das pernas. O teto panorâmico ainda amplia a sensação de espaço no interior. Há bons nichos para guardar objetos no interior do carro e o porta-malas transporta 520 litros. Nota 8.
 
Acabamento – Tanto a Peugeot quanto a Citroën, ambas do grupo PSA, se destacam nesse quesito. Os materiais não apenas aparentam boa qualidade como muitas vezes superam os utilizados por marcas premium em modelos com dimensões similares. Os revestimentos em couro trazem costuras aparentes e estão não só nos bancos, mas também no volante, painel das portas e apoio de braços central. Há uma aplicação em tecido no console frontal e todas as superfícies internas têm toque macio. Além disso, não há exageros: cromados, alumínio e apliques em preto brilhante se equilibram bem e adicionam charme ao interior. Nota 9.
 
Design – A nova geração do 3008 consegue mesclar boa dose de robustez, esportividade e elegância. De perfil, a linha de cintura alta e ondulada na traseira, as rodas de 19 polegadas e o caimento acentuado da última coluna transmitem a ideia de velocidade. Na frente, a grade tem detalhes cromados, enquanto a traseira ostenta uma faixa horizontal em preto brilhante. É nessa cor também que as colunas centrais e traseiras são revestidas, o que cria uma impressão de teto flutuante quando o 3008 está em movimento. Nota 8.
 
Custo/benefício – O Peugeot 3008 Griffe custa R$ 139.990, sem opcionais disponíveis além de variações de cores da carroceria. O preço é alto, mas seu conteúdo é comparável ao oferecido por marcas premium. É bem difícil encontrar uma relação custo/benefício melhor nessa categoria. Nota 8.
 
Total – O Peugeot 3008 somou 84 pontos em 100 possíveis.
 
 
Impressões ao dirigir

Familiar invocado
 
Por fora e por dentro, o primeiro contato com o novo Peugeot 3008 impressiona. O desenho o aproximou de um SUV, mas o crossover não perdeu sua identidade. E seu exterior traz diversos elementos que ressaltam um de seus principais trunfos na disputa por mercado na categoria em que atua: a boa combinação entre conforto e desempenho. 
 
 
Seu vigor vem do já conhecido propulsor 1.6 THP de 165 cv – não é flex, como já acontece em outros modelos vendidos no Brasil, condição que faria o motor render até 173 cv. O trem de força – a transmissão é automática de seis velocidades – não mudou, mas a nova plataforma possibilitou a redução de 159 kg no peso do novo 3008, o que faz com que diversos aspectos se beneficiem.
 
 
Entram aí as acelerações e retomadas mais eficientes que antes, embora isso não seja tão perceptível já que o zero a 100 km/h não foi alterado – segue em 8,9 segundos – e falta de força nunca tenha sido um problema para o carro. Outro ponto positivo com a dieta foi o ganho de eficiência energética, garantindo menor gasto de combustível. Digno de elogios é também seu comportamento diante de curvas. O SUV se mantém sempre estável e é bastante incomum ver o controle eletrônico de estabilidade ter de promover alguma correção. 
 
Acabamento continua sendo um atributo forte do 3008. O requinte visto é similar ao empregado em muitos modelos de marcas premium, o que naturalmente o distancia de diversos concorrentes. Difícil não se deixar seduzir pelo painel digital e a nova configuração do cockpit, com os instrumentos elevados – para que seja visto acima do volante. Essa, aliás, é uma solução que vem se espalhando por todos os novos lançamentos da Peugeot. 

Ficha técnica

Peugeot 3008 Griffe
 
Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.598 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, turbo com intercooler e comando no cabeçote variável na admissão e no escape. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático de seis velocidades à frente e uma a ré nas versões. Tração dianteira. Oferece controle de tração.
Potência: 165 cv a 6 mil rpm.
Torque máximo: 24,5 kgfm a 1.400.
Aceleração 0-100 km/h: 8,9 segundos.
Velocidade máxima: 206 km/h.
Diâmetro e curso: 77 mm x 85,8 mm. Taxa de compressão: 11,0:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson e traseira semi-independente por eixo de torção. Oferece controle eletrônico de estabilidade.
Pneus: 235/50 R19.
Freios: Discos ventilados na frente e maciços atrás. Oferece ABS com EBD.
Carroceria: Utilitário esportivo em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. Comprimento de 4,45 metros com 1,91 m de largura, 1,63 m de altura e 2,68 m de entre-eixos. Possui airbags frontais, laterais e de cabeça de série.
Peso: 1.375 kg.
Capacidade do porta-malas: 520 litros.
Tanque de combustível: 53 litros.
Lançamento no Brasil: 2017.
Produção: Sochaux, França.
Preço: R$ 139.990.
 

TRÂNSITO LIVRE

todos

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MotorDream - Rua Barão do Flamengo, 32 - 5º Andar - Flamengo
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22220-080
Telefone: (21) 2286-0020 - Fax: (21) 2286-1555

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.932985, -43.176320
Webroom Soluções Interativas