MotorDream

Testes

Teste: Jac T40 - Tudo bem no ano que vem

02/08/2017 11:00  - Fotos: Eduardo Rocha/Carta Z Notícias
Envie por email

 

Jac aposta no SUV compacto T40 para triplicar as vendas do ano passado até o fim de 2018

por Eduardo Rocha
Auto Press

Para a Jac, o pior já passou. A SHC, importadora da marca chinesa no Brasil, aposta que o seu novo SUV compacto de entrada, o T40, vai mudar a dura realidade dos últimos cinco anos, quando perdeu 85% das vendas – foi de 18 mil unidades em 2012 para menos de 2.700 em 2016. Nas projeções para este ano, a vendas já cresceriam quase 70%, indo a 4.500 unidades – um terço delas do T40. A lógica comercial do novo SUV compacto é a mesma seguida pelos demais modelos da marca: um carro completo, com muitos recursos de conforto e tecnologia, com um preço mais baixo que os concorrentes diretos. O Jac T40 chega a partir de R$ 56.990 e se dispõem a brigar com Honda W-RV, Citroën Aircross, Peugeot 2008 e também hatches aventureiros como Volkswagen CrossFox, Hyundai HB20X e Sandero Stepway, todos mais caros e menos equipados.

O T40 chega com um grande arsenal de assistência à condução, que pouco a pouco passa a ser oferecido nos modelos compactos, como controle de estabilidade e tração, assistente de partida em rampa, monitoramento da pressão dos pneus, sensor de luminosidade e de obstáculos traseiro. Tem ainda direção elétrica, controle de cruzeiro, trio elétrico, luzes diurnas de led e rodas de liga leve aro 16. Um pack quase obrigatório aumenta o preço em R$ 2 mil acrescenta kit multimídia com tela de 8 polegadas com câmara de ré acoplada e uma câmara frontal, instalada junto ao retrovisor interno, que mantém um registro contínuo das últimas três horas – recurso que em muitos países rende bons descontos no custo do seguro dos automóveis. Um opcional, instalado nas concessionárias, é a carroceria em duas cores. Na verdade, trata-se de um mero envelopamento do teto na cor preta para a carroceria laranja e prata para a vermelha, que custa salgados R$ 1.990.

O novo SUV é impulsionado pelo mesmo motor 1.5 litro do outro SUV compacto da marca, o T5. Ele tem até 127 cv de potência e 15,7 kgfm de torque. A promessa é de um consumo urbano de 7,7/85 km/l e rodoviário de 11,4 km/l/12,5 km/l, com etanol/gasolina, gerenciado sempre por um câmbio manual de cinco velocidades. Este conjunto leva o T40 191 km/h e acelera de zero a 100 km/h em 9,8 segundos. No início de 2018, será oferecida uma versão com CVT, que vai acrescentar exatos R$ 5 mil ao preço – no T5, o CVT sai a R$ 7 mil. Para a Jac, as vendas este ano ficam em 300 carros por mês e no ano que vem pulam para 600 unidades mensais.

Outra razão para acreditar no sucesso do T40 é o fato de ter sido idealizado pela Jac Motors do Brasil. Sobre uma plataforma compacta já existente da fabricante chinesa, foi construída uma carroceria encomendada pelo Grupo SHC a um centro de estilos em Turim. Foram introduzidos aí detalhes para dar um ar mais requintado ao carro. Caso das partes do revestimento interno em couro, como apoio de braços das portas e painel frontal, dos cromados laterais com maior espessura na porta traseira, da grade frontal que combina cromado com pintura em prata e da ausência de molduras pretas nas caixas de roda. Essa última mostra a intenção de reforçar o lado mais esportivo – o que fica claro nos freios a disco nas quatro rodas com cálipers pintados de vermelho.

No futuro refratado pela visão do CEO da Jac Motors do Brasil, as vendas ficariam entre 8 mil e 10 mil unidades em 2018, sendo 7.200 delas do T40. O grande otimismo se explica pelo fato de que a marca já estaria livre dos “grilhões” impostos pelo Inovar-Auto, que limita as vendas anuais em 4.800 unidades até o fim de 2017 para montadoras que não investissem em pesquisa ou em produção no Brasil. Em 2019, a coisa seria ainda mais positiva, com a nova promessa da inauguração da fábrica da marca chinesa no país. Com a produção exatamente do T40.

 

Primeiras impressões

A chave do tamanho

Amparo/SP – O T40 é 19 cm menor no comprimento e 55 kg mais leve que o T5, que tem a mesma motorização. Em números isso se traduz numa velocidade final 10 km/h maior, de 191 km/h, e numa aceleração de zero a 100 km/h 3,1 segundos mais rápida, em 9,8 s. Na prática, representa maior vigor e disposição nas acelerações e retomadas. A única limitação é fato de o motor 1.5 de 127 cv e 15,7 kgfm só acordar depois dos 3 mil giros. É preciso esgoelar o pequeno SUV para arrancar o desempenho prometido na ficha técnica.

O menor tamanho – o entre-eixos tem 7 cm a menos – também dá maior agilidade e equilíbrio nas sequências de curvas, como as encontradas na estrada para Amparo. A suspensão – na configuração clássica de MacPherson na frente e eixo de torção atrás – impede a rolagem lateral exagera e devolve o equilíbrio ao carro rapidamente. Por outro lado, a direção é bem menos progressiva do que o desejável. Nas manobras de estacionamento, ela é extremamente leve. E se mantém assim mesmo em velocidades de estrada, o que dá menor precisão na hora de corrigir a trajetória.

O desenho externo do T40 é agradável, mas nada surpreendente. Com raras exceções, os designers de SUVs parecem ter feito estágio no centro de estilos da Hyundai. No caso do modelo da Jac, houve até uma tentativa de fugir do lugar-comum com o uso de cromados que viram a espessura na base das janelas e os cálipers dos freios pintados de vermelho. Mas é só. A solução de criar uma carroceria em duas cores recorrendo a um adesivo de vinil também não impressiona.

Já o interior surpreende de forma positiva. Primeiro pelo bom espaço interno. Há bastante espaço para cabeças, pernas e ombros – o T40 é especialmente largo – e o porta-malas acomoda bons 450 litros. Depois pelo acabamento e materiais de revestimento, que não ficam muito atrás de alguns dos rivais, como Sandero Stepway e HB20X, os mais despojados nesse aspecto. A ergonomia dos bancos é correta e segura bem o corpo nas curvas. Já o painel de instrumentos deixa um pouco a desejar. Os números no visor central são ruins de ler e o alardeado computador de bordo se resume a uma linha de dígitos com o consumo médio. A versão testada estava bem completa, com multimídia com tela de 8 polegadas, câmara frontal, para registrar o trajeto, e câmara de ré para manobras. No mais, estão lá os itens de praxe, que dão ao T40 uma boa relação custo/benefício.

 

Ficha técnica

Jac T40 1.5 16V

Motor: A gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.499 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e comando variável de válvulas na admissão. Injeção multiponto sequencial. 

Transmissão: Câmbio manual com cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. 

Potência máxima: 125 cv e 127 cv a 6 mil rpm com gasolina e etanol. 

Diâmetro e curso: 75 mm X 84,8 mm. Taxa de compressão: 10:1. 

Aceleração 0-100 km/h: 9,8 segundos. 

Velocidade máxima: 191 km/h. 

Torque máximo: 15,5 kgfm e 15,7 kgfm a 4 mil rpm com gasolina e etanol. 

Suspensão: Dianteira independente, do tipo McPherson, com molas helicoidais e barra estabilizadora. Traseira semi-independente, eixo de torção, com molas helicoidais e barra estabilizadora. Oferece controle eletrônico de estabilidade. 

Pneus: 205/55 R16. 

Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. Oferece ABS e EBD. 

Carroceria: Utilitário em monobloco com quatro portas e cinco lugares. 4,32 metros de comprimento, 1,76 m de largura, 1,62 m de altura e 2,56 m de distância entre-eixos. Oferece airbag duplo de série. 

Peso: 1.155 kg. 

Capacidade do porta-malas: 450 litros. 

Tanque de combustível: 42 litros. 

Produção: Hefei, China. 

Lançamento no Brasil: 2017. 

Itens de série:

Pack 2: Ar-condicionado, vidros elétricos das quatro portas, trava central e retrovisores elétricos, sistema de monitoramento de pressão dos pneus, sistema Isofix, sensor traseiro de estacionamento, faróis com regulagem elétrica de altura e acendimento automático, banco do motorista com ajuste de altura, rodas de liga leve aro 16, faróis de neblina dianteiros e traseiros, rack no teto, assistente de partidas em rampas e controle eletrônico de estabilidade e tração.

Preço: R$ 56.990.

Pack 3: Acrescenta multimídia com mirror link e tela de 8 polegadas, câmara de ré e câmara para registro de trajeto.

Preço: R$ 58.990

Opcional: Carroceria em duas cores com teto adesivado (R$ 1.990) e pintura metálica (R$ 1.190).

Preço completo: R$ 62.170 (sem frete). 

TRÂNSITO LIVRE

todos

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MotorDream - Rua Barão do Flamengo, 32 - 5º Andar - Flamengo
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22220-080
Telefone: (21) 2286-0020 - Fax: (21) 2286-1555

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.932985, -43.176320
Webroom Soluções Interativas