MotorDream

Testes

Teste: Ford Fusion 2.0 Ecoboost Titanium AWD - Passo à frente

09/03/2017 09:00  - Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias
Envie por email

 

Ford Fusion 2.0 Titanium AWD tem itens que vão de tecnologias semiautônomas à tração integral

por Marcio Maio
AutoPress

Entre os sedãs médios-grandes, o Ford Fusion tem uma particularidade extremamente interessante: como a marca aposta em diversas versões para o modelo – que vão de motorização flex ou híbrida até propulsor turbo com tração integral –, o três volumes atua em diversos nichos. Pode atrair desde os consumidores das variantes mais caras dos sedãs médios com suas configurações de entrada quanto os que pensam em comprar um modelo de entrada de marca premium. E é neste último público que a configuração 2.0 Ecoboost Titanium AWD tem mais chances de emplacar. Além de oferecer um propulsor de 248 cv e tração integral – que favorecem uma direção mais esportiva –, a versão custa R$ 158.700 e reúne itens de segurança e entretenimento ausentes nas opções mais baratas de sedãs da BMW, Mercedes-Benz ou Audi, com quem rivaliza em preço. 

Lançada em 2012, a segunda geração do Fusion recebeu um face-lift no fim de 2016. Esteticamente, as mudanças foram bem pontuais. A grade dianteira foi sutilmente redesenhada, mas manteve o sistema de fechamento ativo, semelhante ao adotado nos modelos de competição. Ela se fecha para melhorar a aerodinâmica em velocidades mais altas e se abre para otimizar a refrigeração nas mais baixas. Faróis trazem assinatura em leds e são full led na variante mais cara. Lanternas foram redesenhadas, ganharam luzes em leds e estão mais amplas e unidas por um friso cromado. 

O trem de força também foi mexido. O motor 2.0 Ecoboost turbo a gasolina passou por um processo de redução dos atritos e outros aprimoramentos mecânicos. A potência também subiu, passando de 240 cv para 248 cv, com torque de 39 kgfm já a partir de 1.750 rpm, mantendo-se intacto até 4.500 giros.

 

Por dentro, a alteração mais evidente é a substituição da alavanca de câmbio por um comando giratório para a transmissão automática de seis marchas. Mas há muita tecnologia embarcada na versão de topo do Fusion. Principalmente voltada para a direção semiautônoma. O assistente de frenagem autônoma com detecção de pedestres é operado por radar e sensores e pode atuar diretamente sobre o sistema de freios para evitar atropelamentos e colisões. Já o controle de cruzeiro adaptativo monitora e mantém distância segura do veículo da frente. O carro traz ainda sistema de estacionamento automático para vagas paralelas ou perpendiculares, oito airbags, cintos de segurança traseiros infláveis, sistema de monitoramento de ponto cego, sistema de monitoramento de mudança de faixa, sistema de detecção de cansaço do motorista e monitoramento de pressão individual dos pneus. A conectividade também foi aprimorada com a adoção do Sync 3 com tela capacitiva de 8 polegadas e acesso aos softwares de espelhamento de smartphones Apple Car Play e Android Auto. As fontes de letras e ícones do sistema estão maiores e mais fáceis de visualizar. 

 
Ponto a ponto
 
Desempenho – O Ford Fusion 2.0 Ecoboost Titanium AWD ganhou, junto com o face-lift da linha 2017, 8 cv de potência a mais, totalizando 248 cv. É força mais que suficiente para mover o sedã, apesar de seu porte médio-grande. O torque máximo de 39 kgfm já fica disponível a partir de 1.750 giros e se mantém até 4.500 rpm, o que garante bastante vigor em qualquer faixa de giro para o modelo. Nota 9.
 
Estabilidade – Esse também foi um ponto que evoluiu com as mudanças promovidas no ano passado. As molas da suspensão foram recalibradas e o sedã se mostra bem equilibrado, mesmo em trechos sinuosos cumpridos em alta velocidade. Além disso, o Fusion AWD traz os sistemas eletrônicos de controle de estabilidade e tração, que ampliam ainda mais a segurança. Nota 9.
 
Interatividade – A transmissão não tem alavanca, mas sim um comando circular no console central. Bem fácil de lidar e esteticamente interessante. A direção elétrica é bem leve nas manobras, mas ganha firmeza conforme a velocidade sobe. Além disso, a configuração topo de linha permite que se resfrie a cabine antes de se entrar no carro, ligando o ar-condicionado de fora do veículo. Nota 8.
 
Consumo – O InMetro testou o Ford Fusion 2.0 Titanium AWD 2017 e aferiu médias de 8,2 km/l na cidade e 11,1 km/l na estrada, com gasolina – único combustível aceito pelo carro. O consumo energético foi de 2,38 MJ/km, com nota C na categoria e D no geral. Diante da busca pela eficiência energética atual e dos esforços para conter as emissões de poluentes, o resultado poderia ser um pouco melhor. Mas, é preciso lembrar, trata-se de um carro com mais de 1,5 tonelada. Nota 5.
 
Conforto – Os ajustes elétricos dos bancos dianteiros facilitam achar a melhor posição e eles trazem aquecimento e refrigeração. A suspensão absorve bem as irregularidades do piso, mas lombadas mais altas incomodam um pouco. O espaço é farto e os estofados recebem extremamente bem seus passageiros. Nota 8.
 
Tecnologia – A segunda geração do modelo surgiu há cinco anos e o motor passou por uma modernização recentemente. Entre os itens de série, estão assistente de frenagem autônoma com detecção de pedestres, piloto automático adaptativo com “stop & go”, sistema de estacionamento automático, cintos de segurança traseiros infláveis, sistema de monitoramento de ponto cego, sistema de monitoramento de faixas, sistema de detecção de cansaço do motorista, monitoramento de pressão individual dos pneus no cluster, controle de estabilidade e tração e um moderno sistema multimídia, o Sync 3. Além disso, há oito airbags escondidos na cabine. Nota 9.
 
Habitabilidade – Os acessos são bons, com portas bem amplas. Mas passageiros mais altos podem estranhar a altura do modelo. O teto solar ajuda a aumentar ainda mais a sensação de espaço no interior e o porta-malas carrega 453 litros. Nota 8.
 
Acabamento – É bem difícil achar uma superfície que não seja agradável ao toque. O couro é aparentemente de boa qualidade, os encaixes, precisos, e a opção de revestimento claro cria um contraste interessante no habitáculo. Não chega a ser uma cabine propriamente luxuosa, mas há um refinamento bem adequado para um sedã médio-grande. Nota 8.
 
Design – O visual do Fusion já não é mais uma novidade e as alterações estéticas promovidas no face-lift recente foram extremamente sutis. Os conjuntos óticos foram atualizados, assim como a grade trapezoidal, que agora traz uma nova moldura. As ponteiras com acabamento em aço inox contribuem para uma imagem esportiva. Nota 8.
 
Custo/benefício – O Fusion 2.0 Titanium AWD já se destaca no Brasil pela tração integral, algo que não se vê nos sedãs médios-grandes das marcas generalistas. Além disso, sua lista de itens de série inclui equipamentos de segurança interessantes. O preço de R$ 158.700 se posiciona até abaixo de concorrentes como o Volkswagen Passat Highline – que sai a R$ 177.432 sem teto solar – e o Honda Accord, a R$ 162.500. Pelo que tem e a faixa de preço em que atua, a versão topo de linha do Fusion é até capaz de arrebatar clientes de configurações mais baratas dos sedãs de entrada de marcas premium. Nota 8.
 
Total – O Ford Fusion 2.0 Ecoboost Titanium AWD obteve 80 dos 100 pontos possíveis.
 
Impressões ao dirigir
 
Equilíbrio integral
 
A segunda geração do Fusion não é novidade no Brasil, mas seu visual ainda se destaca entre os sedãs médios-grandes. Por dentro e por fora. A cabine carrega uma sobriedade charmosa e que, na versão com tração integral, se mistura a soluções criativas para produzir uma atmosfera mais funcional e aconchegante. Caso do comando giratório no lugar da alavanca de câmbio, que melhora o espaço no console central, e da iluminação do interior em sete cores, com leds localizados dentro dos porta-objetos, no próprio console central, em áreas vazadas do painel, no console do banco traseiro e sob o painel de instrumentos, por exemplo.
 
 
Em movimento, o sedã impressiona com sua desenvoltura tanto em perímetro urbano quanto na estrada. O bom torque de 39 kgfm, disponível entre 1.750 e 4.500 giros, se traduz em boas arrancadas, ultrapassagens e retomadas. A ponto de fazer parecer que não se está a bordo de um veículo com mais de 1,5 tonelada. O ganho de velocidade é constante e não há qualquer sensação e falta de força. O equilíbrio do Fusion AWD em caminhos sinuosos é um trunfo da versão. Para isso, ajuda a tração integral e controles eletrônicos de tração e estabilidade eficientes, que se mostram presentes sempre que necessário. 
 
 
Outro ponto positivo é a presença de tecnologias de direção semiautônoma, como o assistente de frenagem autônoma com detecção de pedestres. O sistema dispara um alerta sonoro e visual ao constatar a possibilidade de colisão com um veículo à frente, ao mesmo tempo em que pré-carrega os freios para uma resposta mais rápida. Caso o condutor não reaja, o carro pode até desacelerar e parar automaticamente. Há ainda sistema de estacionamento automático para vagas paralelas ou perpendiculares, em que cabe ao motorista controlar apenas os freios e o câmbio, além de seguir as indicações no painel. Simples assim.
 
 
Ficha técnica
 
Ford Fusion 2.0 Ecoboost Titanium AWD
Motor: A gasolina, dianteiro, transversal, 1.999 cm³, quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro, turbo. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico.
Transmissão: Câmbio automático de seis marchas à frente e uma a ré com modo sequencial e trocas no volante. Tração integral on demand. Oferece controle eletrônico de tração.
Potência máxima: 248 cv a 5.500 rpm. 
Torque máximo: 39 kgfm entre 1.750 rpm e 4.500 rpm.
Diâmetro e curso: 87,5 mm x 83,1 mm. Taxa de compressão: 9,3:1.
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, com molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Traseira independente do tipo Multilink, molas helicoidais, amortecedores hidráulicos e barra estabilizadora. Oferece controle eletrônico de estabilidade.
Pneus: 235/45 R18.
Freios: Discos ventilados na frente e sólidos atrás. Oferece ABS com EBD.
Carroceria: Sedã com quatro portas e cinco lugares. Com 4,87 metros de comprimento, 1,91 m de largura, 1,49 m de altura e 2,85 m de entre-eixos. Oferece sete airbags: dois frontais, dois laterais dianteiros, dois do tipo cortina e um para o joelho do motorista.
Peso: 1.599 kg.
Capacidade do porta-malas: 453 litros.
Tanque de combustível: 63 litros.
Itens de série: Seletor giratório para transmissão automática, chave com sensor de presença, abertura e partida sem chave, grade dianteira com controle ativo, faróis com luz diurna de leds, rodas de liga leve 18", sensor de monitoramento individual de pressão dos pneus, sistema de conectividade Sync 3 compatível com Apple CarPlay e Android Auto, sistema Start/Stop, partida remota, faróis full led, sistema de monitoramento de ponto cego com alerta de tráfego cruzado, sistema de permanência em faixa, farol alto automático, ajuste elétrico dos bancos dianteiros, bancos dianteiros aquecidos e refrigerados, sensor de chuva, sistema de personalização da luz ambiente, aerofólio, controle de cruzeiro adaptativo, alerta de colisão com assistente autônomo de frenagem, assistente autônomo de detecção de pedestres, estacionamento automático e teto solar.
Preço: R$ 158.700.
 

TRÂNSITO LIVRE

todos

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MotorDream - Rua Barão do Flamengo, 32 - 5º Andar - Flamengo
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22220-080
Telefone: (21) 2286-0020 - Fax: (21) 2286-1555

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.932985, -43.176320
Webroom Soluções Interativas