MotorDream

Testes

Teste: Fiat Uno Way 1.3 Dualogic - Um toque de aventura

03/03/2017 09:00  - Fotos: Jorge Rodrigues Jorge/Carta Z Notícias
Envie por email

 

Fiat Uno Way 1.3 Dualogic une estética “off-road” à transmissão automatizada operada por botões

por Márcio Maio
Auto Press

O Fiat Uno é um dos carros mais importantes do line up da Fiat. Em alguns meses chega a ser o mais vendido da marca e o design jovial e despojado ainda atrai consumidores para outros modelos do fabricante. Não por acaso, foi o escolhido para estrear a nova linha de motores Firefly, fabricada em Betim, no interior de Minas Gerais. No caso do motor 1.3, uma das principais versões para brigar no segmento de hatches compactos é a Way, por dois motivos: além de contar com uma opção de câmbio automatizado – com trocas feitas por botões no console e por borboletas atrás do volante –, ainda traz a estética aventureira que virou “modinha” no segmento e ganha cada vez mais adeptos. 

Antes 1.4 de 88 cv, agora a versão chega até 109 cv com o 1.3 Firefly. Um ganho de cerca de 24% de potência e que chega acompanhado de itens de segurança normalmente vistos em modelos de categorias superiores. A versão 1.3 Way Dualogic, com transmissão automatizada de cinco velocidades, traz de série controles dinâmicos de estabilidade e tração, além da assistência de partida em rampas – com transmissão manual, esses itens fazem parte de um pacote tecnológico opcional.

O novo motor tem bloco em alumínio e pesa sete quilos a menos que o anterior 1.4. Além disso, utiliza um sistema que faz parte dos gases do escape recircularem na câmara de combustão quando a potência não é solicitada. Dependendo da situação, o eixo de comando com variador de tempo de abertura atrasa ou adianta o movimento das válvulas. O resultado, de acordo com a Fiat, pode chegar à economia de até 7% no consumo de combustível.

 

O visual mudou muito pouco em relação à linha 2016, com o propulsor antigo. A grade ficou mais robusta e parecida com a do subcompacto Mobi. No caso da versão Way, barras longitudinais no teto, detalhes internos na cor grafite, faróis com máscara negra, maior altura em relação ao solo, molduras das caixas de roda na cor cinza, frisos laterais das portas com inscrição Way e lanternas traseiras com acabamento fumê diferenciam o modelo das demais configurações. Tudo para dar uma “cara” mais “aventureira” ao compacto. 

Ponto a ponto
 
Desempenho – O motor 1.3 adotado na linha 2017 do Uno – incluindo a versão Way – é mais potente que o antigo 1.4. Os 101/109 cv de potência, com torque de 13,7/14,9 kgfm, com gasolina/etanol, movimentam com eficiência o hatch. E não é preciso esperar os 3.500 giros – faixa em que o torque máximo aparece – para sentir vigor no carro. Arrancadas são boas e ultrapassagens e retomadas, também. Com o opcional câmbio automatizado Dualogic, porém, convém recorrer às aletas para trocas manuais, localizadas atrás do volante, quando se precisa de mais força de forma rápida. Nota 8.
 
Estabilidade – O Uno sempre foi bom de curvas. Agora, na linha 2017, a versão 1.3 Way Dualogic já sai de fábrica com controle eletrônico de estabilidade e tração, que garantem segurança extra aos motoristas mais apressados. Com isso, dá para explorar um pouco mais o carro e arrancar alguma esportividade do novo propulsor Firefly. Rolagens de carroceria são extremamente sutis, incapazes de transmitir insegurança. Nota 8.
Interatividade – A proposta do Fiat Uno, de maneira geral, sempre foi mais racional. Sendo assim, os comandos são todos bem localizados e de uso intuitivo. Há um sistema opcional Live On, que transforma smartphones Apple e Android em central multimídia com interação com aplicativos comumente utilizados, como Spotify – de streaming de música. Nesse caso, informações do carro também ficam disponíveis ali. Nota 8.
 
Consumo – O InMetro testou o Fiat Uno com motor 1.3 e câmbio automatizado Dualogic e aferiu médias de 9,3/10,1 km/l na cidade/estrada com etanol e 13,2/13,7 km/l com gasolina nas mesmas condições. O carro ficou com 1,57 MJ/km de consumo energético e nota “A” tanto na categoria quanto no geral. Nota 10.
 
Conforto – Quatro adultos de estatura mediana conseguem se acomodar no Uno sem grandes apertos, mas há modelos mais espaçosos na categoria de hatches compactos. A suspensão garante uma absorção razoável dos impactos causados por buracos nas ruas e o isolamento acústico fica dentro da média esperada para o segmento em que atua. Nota 7.
 
Tecnologia – A linha 2017 do Uno estreou o novo motor 1.3 da marca italiana. Além disso, há sistema start/stop, que desliga o motor quando o veículo está imobilizado. O câmbio automatizado Dualogic dispensa a alavanca. Os comandos básicos são feitos por botões – Neutro, Drive e Ré – enquanto as marchas podem ser trocadas individualmente pela aletas atrás do volante. Os itens de série incluem tecnologias como controle eletrônico de estabilidade e tração, presentes apenas em poucos modelos desta faixa de preço. Nota 9.
 
Habitabilidade – Há bons porta-objetos no Uno, inclusive no teto. O modelo tem também um espelho auxiliar para visualizar os ocupantes traseiros – bom para quem tem filhos pequenos, por exemplo. As formas quadradas da carroceria ajudam na acomodação de todos e o porta-malas está na média do segmento, com 280 litros. Nota 8.
 
Acabamento – Não há qualquer requinte. Exceto pela Peugeot e pela Citroën, que costumam dar mais atenção a esse quesito mesmo entre os hatches compactos, o Uno Way está alinhado por cima com o que se vê na concorrência. De qualquer forma, os plásticos têm boa aparência e transmitem percepção agradável. Nota 7.
 
Design – As mudanças estéticas com o face-lift do novo Uno foram bem leves, mas suficientes para trazerem benefícios ao modelo. A grade adotada se assemelha à do subcompacto Mobi e a variante Way ganha detalhes estéticos exclusivos que inserem uma ideia de aventura ao modelo. Nota 8.
 
Custo/benefício – A Fiat pede R$ 53.030 pelo Uno Way 1.3 Dualogic, mas completo – com o sistema Live On, retrovisores elétricos, vidros elétricos traseiros com one touch, alarme antifurto, sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, rodas de liga leve de 14 polegadas, terceiro apoio de cabeça traseiro, apoia-braço central no banco do motorista, banco do motorista com regulagem de altura e banco traseiro bipartido, chega a R$ 58.259. Com todas as tecnologias que carrega, é difícil encontrar um concorrente com a mesma lista de itens disponível. Principalmente pelos controles de estabilidade e tração. Por isso, acaba sendo uma opção interessante. Nota 7.
 
Total – O Fiat Uno 1.3 Way Dualogic somou 80 pontos em 100 possíveis.
 
Impressões ao dirigir
 
Compacto aceso
 
À primeira vista, a transmissão Dualogic adotada pela Fiat no Uno 1.3 Way, a partir de botões no console central, pode parecer um tanto estranha. Mas a verdade é que ela facilita bastante a vida de quem não quer ter de pisar na embreagem e trocar as marchas. Cada botão tem sua função bem definida e bastam poucos minutos para se adaptar ao seu funcionamento. Que, diga-se de passagem, é bem mais eficiente que nos modelos da marca com alavanca. 
 
 
Não dá para dizer que o Uno 1.3 seja um carro esportivo. Mas a substituição do antigo motor 1.4 pelo novo Firefly 1.3 trouxe um vigor extra ao hatch. O zero aos 100 km/h é cumprido em 9,8 segundos, uma marca que se destaca no segmento em que o Uno atua. Além disso, o carro pode chegar aos 177 km/h de velocidade máxima, tanto com etanol quanto com gasolina no tanque. O torque máximo, de 14,9 kgfm quando abastecido com etanol, só aparece em 3.500 rpm. No entanto, antes disso já é possível garantir boas arrancadas e retomadas de velocidade. A verdade é que o Uno Way 1.3 Dualogic se sai bem tanto em ambiente urbano quanto na estrada.
 
 
A transmissão Dualogic, porém, anestesia um pouco o comportamento do Uno. Quando se necessita de mais força, é indicado utilizar as aletas atrás do volante, que promovem trocas manuais de marcha. Em alta velocidade, as rolagens de carroceria até aparecem diante de curvas um pouco mais fechadas. Mas nada que amedronte. Além disso, a Fiat adotou na linha 2017 do Uno controles eletrônicos de estabilidade e tração, que são de série nas versões sem o pedal de embreagem. Dificilmente o motorista verá esses recursos em ação – até porque o hatch sempre foi bom de curvas – mas o fato de saber que uma ou outra correção necessária pode ser feita pelo próprio carro deixa o condutor mais livre para explorar o que o propulsor Firefly tem a oferecer.
 
 
Ficha técnica
 
Fiat Uno Way 1.3 Dualogic
 
Motor: Gasolina e etanol, dianteiro, transversal, 1.332 cm³, quatro cilindros em linha, duas válvulas por cilindro. Injeção multiponto, sistema de variação no tempo de abertura de válvulas e acelerador eletrônico.
Potência: 101 cv a 6 mil rpm com gasolina e 109 cv a 6.250 rpm com etanol.
Torque: 13,7/14,9 kgfm com gasolina/etanol a 3.500 rpm.
0-100 km/h: 9,8 segundos.
Diâmetro e curso: 70,0 mm X 86,5 mm. Taxa de compressão: 13,2:1.
Velocidade máxima: 177 km/h.
Transmissão: Automatizada de cinco marchas à frente e uma a ré. Tração dianteira. Controle eletrônico de tração. 
Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, braços oscilantes inferiores transversais e molas helicoidais. Traseira com barra de torção e rodas semi-independentes, amortecedores hidráulicos e molas helicoidais. Controle eletrônico de estabilidade.
Pneus: 175/70 R14.
Freios: Discos sólidos na frente e tambores atrás. Oferece ABS com EBD de série.
Carroceria: Hatch em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 3,81 metros de comprimento, 1,64 m de largura, 1,48 m de altura e 2,38 m de distância entre-eixos. Airbags frontais de série.
Peso: 1.057 kg.
Capacidade do porta-malas: 280 litros.
Tanque de combustível: 48 litros.
Produção: Betim, Brasil.
Itens de série: Alertas de limite de velocidade e manutenção programada, ar-condicionado, vidros verdes, banco traseiro rebatível com duas posições para o encosto, barras longitudinais no teto, sinalização de frenagem de emergência, chave canivete com telecomando para abertura e fechamento das portas e vidros elétricos, comando interno de abertura do porta-malas e da tampa do tanque de combustível, console de teto com porta-objetos e espelho auxiliar, volante com aletas de seleção das marchas, direção elétrica, controle de estabilidade eletrônica, controle de tração, faróis de neblina, sistema de partida a frio sem tanque auxiliar de gasolina, assistente de partida em rampas, limpador, lavador e desembaçador do vidro traseiro, porta-óculos, porta-luvas iluminado, computador de bordo, rádio com RDS e entrada USB para MP3/WMA, relógio e hodômetro digitais, rodas de aço com calotas de 14 polegadas, sistema Start/Stop, tomada 12V, travas elétricas, vidros elétricos dianteiros com one touch, volante com regulagem de altura e válvula antirrefluxo de combustível. 
Preço: R$ 53.030.
Opcionais: sistema Live On que transforma smartphone em central multimídia, retrovisores elétricos, vidros elétricos traseiros com one touch, alarme antifurto, sensor de estacionamento traseiro com visualizador gráfico, rodas de liga leve de 14 polegadas, terceiro apoio de cabeça traseiro, apoia-braço central no banco do motorista, banco do motorista com regulagem de altura e banco traseiro bipartido.
Preço completo: R$ 58.259.
 
 

TRÂNSITO LIVRE

todos

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MotorDream - Rua Barão do Flamengo, 32 - 5º Andar - Flamengo
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22220-080
Telefone: (21) 2286-0020 - Fax: (21) 2286-1555

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.932985, -43.176320
Webroom Soluções Interativas