MotorDream

Testes

Teste: Jeep Renegade Trailhawk - Versatilidade com estilo

10/07/2015 14:00  - Fotos: Isabel Almeida/Carta Z Notícias
Envie por email

Teste: Jeep Renegade Trailhawk - Versatilidade com estilo

Jeep Renegade Trailhawk une tecnologia, conforto e robustez para encarar asfalto e off-road

por Raffaele Grosso
Auto Press

O mercado brasileiro de SUVs compactos vivia uma calmaria até o ano passado, quando era disputado basicamente por dois modelos: Ford Ecosport e Renault Duster. Este ano o segmento se agitou e tomou outro rumo. Parece até que está em um “universo paralelo” e cresce a despeito da atual crise no setor automotivo. Entre as principais novidades do mercado está o Jeep Renegade, fabricado na cidade pernambucana de Goiana. O modelo começou a ser fabricado em abril e ainda está acelerando o ritmo de produção – passou das 3 mil unidades vendidas em junho –, mas filas de espera nas concessionárias apontam para um aumento desse número. E mesmo que não seja a versão de maior saída, a topo de linha Trailhawk é certamente a que mais atrai os holofotes.


O Jeep Renegade Trailhawk responderá por 25% dos modelos equipados com motor diesel, motorização de deverá estar presente em 22% da produção total. Ou seja: o Trailhawk sozinha representaria entre 5 e 6% da linha – o preço inicial de R$ 116.900 tem muito a ver com o tamanho da participação. Nesta configuração, o modelo vem com tudo de melhor que a Jeep pode oferecer, inclusive, o conjunto mecânico. O Renegade é o único utilitário compacto que oferece motor turbodiesel. O propulsor é o Multijet II, capaz de render 170 cv e 35,7 kgfm de torque máximo, disponibilizados a partir de 1.750 rpm. Junto com ele, trabalha a caixa de transmissão automática ZF de nove velocidades – também inédita no segmento – que disponibiliza trocas manuais na alanvanca de câmbio ou através de “borboletas” atrás do volante.


Outro aspecto que chama a atenção na versão é a extensão da lista de equipamentos. Ela é composta por tela multimídia de 5 polegadas com funções de rádio, GPS, Bluetooth, câmara e sensor de ré, volante com comando de áudio, voz e troca de marchas através de aletas, direção, vidros e travas elétricas, ar-condicionado de duas zonas e diversos porta-objetos. Há também sistema de tração integral 4X4 com ajustes eletrônicos para cinco tipos de terrenos. Completam a lista o controles eletrônicos de estabilidade e tração, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis e assistente de partida em rampa. Como opcionais, aparecem teto solar panorâmico, sistema de detecção de ponto cego, banco do motorista com ajuste elétrico, sistema de áudio Beats acoplado à tela de 6,5 polegadas, faróis de xênon, airbags laterais, de cortina e de joelho para motorista, sistema Park Assist, que estaciona o carro sozinho, entre outros requintes.


No visual, o modelo segue uma proposta bem diferente e ao mesmo tempo agradável. O Jeep Renegade Trailhawk mistura conceitos urbanos e off-road com um leve tempero jovial. A parte frontal do veículo tem os elementos clássicos da marca, com a grade formada por sete barras verticais e faróis redondos, que transmitem um ar de robustez. Na traseira, dentro das lanternas é possível identificar um “X”, que se repete no desenho das rodas aro 17. Ao longo da carroceria estão presentes adesivos e há diversas opções de cores descontraídas para o veículo, como verde, vermelho e laranja. No interior, os materiais trazem a sensação de qualidade. Há misturas de revestimentos em plásticos macios e rígidos no painel e as molduras das saídas de ar, som, e de alguns porta-objetos em cores contrastantes fazem referência ao conjunto grade-faróis, característico da marca. Ainda há destaque para a parte “descolada” dentro do habitáculo. A presença de detalhes estilísticos no interior, como faixa vermelha de conta-giros que imita uma poça de lama e tapete emborrachado com mapas de trechos off-road. Afinal, entre os SUVs compactos vendidos no Brasil, o Jeep Renegade é o único com pedigree.

 
Ponto a ponto

Desempenho – O motor 2.0 turbodiesel de 170 cv e 35,7 kgfm de torque impulsiona o carro de maneira impetuosa e bem agradável. Mesmo em rotações baixas é possível sentir respostas imediatas ao pisar no acelerador, graças ao turbo que começa a agir antes das 1.500 rpm. O câmbio automático de nove velocidades realiza as trocas de maneira suave, sem “soluços” e no tempo correto. O modelo consegue encarar o off-road com grande desenvoltura e ainda se dá bem no asfalto – faz de zero a 100 km/h em 9,9 segundos. Muito bom para um carro com mais de 1.600 kg. Nota 9.

Estabilidade – O utilitário tem suspensão bem ajustada. Embora seja pesado e tenha 1,72 metros de altura, o Renegade não apresenta muitas rolagens de carroceria. Mesmo em velocidades mais elevadas e curvas mais agudas, o carro passa a sensação de estar sempre na mão. Os pneus 215/60 R 17 ajudam na dirigibilidade e ainda há a salva-guarda do sistema de controle de estabilidade e tração. Nota 8.

Interatividade – Embora possua diversos botões no volante e no painel, todos são de simples manuseio e não apresentam qualquer mistério. A central multimídia Uconnect exibe funções de streaming áudio via Bluetooth, rádio, GPS, câmara de ré e tem um tamanho que facilita a leitura. O câmbio automático de nove velocidades realiza as trocas de marchas no tempo certo e de maneira suave. Nota 8.

Consumo – O Jeep Renegade Trailhawk não participa do programa de etiquetagem veicular do InMetro. Durante a avaliação, o computador registrou média de 13,2 km/litro em ciclo misto. Nota 8.
 
Conforto – Motores diesel têm fama de barulhentos. O Jeep Renegade Trailhawk mostra que não é bem assim, pois tem um isolamento acústico muito bom. Os bancos de couro são macios e aconchegantes. Os passageiros da frente dispõem de amplo espaço interno, assim como os traseiros, onde três ocupantes viajam de maneira confortável. A suspensão não chega a transmitir as imperfeições de ruas e estradas brasileiras. Nota 9.



Tecnologia –
A lista de itens tecnológicos do Renegade Trailhawk é bem extensa, digna de comparação com modelos de nível superiores. Tem diversos recursos úteis no off-road e a plataforma, chamada de Small Wide 4X4, é nova. O carro possui cerca de 70% de sua carroceria em aços de alta resistência. Nota 9.

Habitabilidade –
O utilitário compacto possui diversos guarda-volumes que atendem bem à demanda cotidiana. O motorista consegue achar logo sua posição de dirigir através dos ajustes de altura e profundidade do volante e das regulagens elétricas do banco. O entrar e sair do veículo são fáceis devido ao bom ângulo de abertura das portas e à altura do teto. A capacidade do porta-malas é restrita: apenas 260 litros. Nota 7.

Acabamento –
 O interior do SUV possui materiais de qualidade e mistura de forma bem dosada plásticos emborrachados e rígidos. Os detalhes em cores contrastantes nas costuras dos bancos, saídas de ar, caixas de som, no câmbio e em alguns guarda-volumes transmitem sofisticação. O conceito “easter eggs” – pequenas surpresas – espalhados no carro como o desenho da grade frontal junto com os faróis nas molduras da caixa de som, dentro das lanternas e os mapas de trechos off-road no interior do apoio de braço e embaixo dos comandos de ventilação são bem agradáveis e charmosos. Nota 8. 

Design – O Jeep Renegade chama atenção nas ruas. O modelo, embora compacto, possui porte e presença. A proposta é bem moderna e consegue aliar conceitos urbanos e off-road com leve tempero de despojamento. Nota 8.

Custo/benefício –
O Jeep Renegade Trailhawk parte dos R$ 116.900 e pode chegar a R$ 145.050 com  todos opcionais. Nenhum de seus concorrentes dispõe de motor turbodiesel e câmbio automatico de nove marchas. O Honda HR-V em sua versão topo de linha EXL em R$ 90.700, sem tração 4X4. Já o Renault Duster Dynamique 4X4 parte dos R$ 76.840, mas é bem menos equipado. O Ford Ecosport Titanium Plus 2.0 com tração 4X4 e câmbio de dupla embreagem tem valor inicial em R$ R$ 87.400. Ambos os modelos possuem lista de itens tecnológicos e acessórios similares. Nota 6.

Total –
O Jeep Renegade Trailhawk somou 80 pontos em 100 possíveis.


Impressões ao dirigir

Mistura de conceitos

O Jeep Renegade, principalmente em sua versão “top” Trailhawk, recebe certo destaque nas ruas. É notório que o modelo chama atenção, tanto pelo porte quanto pelo beleza das linhas. As linhas robustas, e ao mesmo tempo simpáticas, trazem ao utilitário certo charme rude. Mas ao entrar no habitáculo do Renegade Trailhawk é possível perceber que há até alguma sofisticação. O design interno, o acabamento e a qualidade dos materiais ajudam a compor um ambiente agradável. O painel possui fácil interpretação e os comandos estão todos próximos do motorista. A posição de dirigir é facilmente encontrada devido aos ajustes do volante, banco e da altura do teto.


Ao acionar o motor, o estranhamento fica por conta da ausência daquele barulho áspero, comum em carros diesel. O som só começa a aparecer em rotações mais altas, algo muito difícil de acontecer, pois a transmissão automática de nove velocidades só irá trabalhar com giros mais elevados se realmente o motorista “afundar” o pé. O motor responde bem às pisadas no acelerador e o câmbio realiza as trocas de marcha de forma harmoniosa, no tempo certo e sem “soluços”. A suspensão é bem ajustada, e embora as ruas estejam esburacadas e desniveladas, o Jeep Renegade absorve muito bem as imperfeições.


O volante possui boa pegada e o carro mantém bom comportamento em velocidades mais altas e em curvas mais agudas, sem nenhum momento passar a sensação de fora do controle. Caso o motorista queira se aventurar em percursos off-road, o seletor de terreno esta lá presente. Com apenas um toque, pode-se ajusta o carro às condições da estrada. O Jeep Renegade Trailhawk apresenta bons níveis de consumo e boa dirigibilidade, independentemente do ambiente e da situação. Consegue juntar boas doses de versatilidade e conforto.

 
Ficha técnica

Jeep Renegade Trailhawk

Motor: Diesel, dianteiro, transversal, 1.956 cm³, turbo, quatro cilindros em linha e quatro válvulas por cilindro. Injeção direta de combustível e acelerador eletrônico.

Transmissão: Câmbio manual automático de nove velocidades à frente e uma a ré. Tração integral com cinco níveis de ajuste. Oferece controle de tração.

Aceleração de zero a 100 km/h: 9,9 segundos.

Velocidade máxima: 190 km/h.

Potência máxima: 170 cv a 3.750rpm.

Torque máximo: 35,7 kgfm em 1.750 rpm.

Diâmetro e curso: 83 mm x 90,4 mm. Taxa de compressão: 16,5:1.

Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson, braços oscilantes inferiores com geometria triangular e barra estabilizadora, amortecedores hidráulicos e pressurizados e molas helicoidais. Traseira independente do tipo McPherson, links transversais/laterais, barra estabilizadora, amortecedores, hidráulicos e pressurizados e molas helicoidais.

Carroceria: Utilitário compacto em monobloco, com quatro portas e cinco lugares. 4,23 metros de comprimento, 1,80 m de largura, 1,72 m de altura e 2,57 m de entre-eixos.

Freios: Freio a disco na frente e atrás. Discos ventilados na frente. Oferece ABS.

Pneus: 215/60 R17.

Peso: 1.674 kg.

Capacidade do porta-malas: 260 litros. com rebatimento dos bancos: 1300 litros.

Tanque de combustível: 60 litros.

Produção: Goiana, Pernambuco.

Itens de série: Tração 4X4 Jeep Active Control, controle eletrônico de velocidade em descidas, computador de bordo, ar-condicionado duas zonas, câmera de ré, parafuso anti-furto nas rodas, volante revestido em couro com aletas para troca de marcha, sistema de navegação GPS, sistema de som com tela de 5 polegadas, air-bags dianteiros, freios a disco nas 4 rodas, direção elétrica, sensor de estacionamento traseiro, controle de estabilidade, piloto automático, retrovisores, vidros e traves elétricas, freios ABS, sistema de som com 6 alto-falantes USB e Bluetooth, controle de tração, auxílio de partida em rampa, isofix para dois bancos traseiros, repetidor lateral nos retrovisores, seletor para 5 tipos de terreno, roda em liga leve aro 17 e pneus 215/60 de uso misto, protetor de transmissão, protetor de tanque, protetor de diferencial, protetor de carter, suspensão off-road com altura mais elevada do solo, painel TFT colorido de 7 polegadas, alavanca do câmbio com revestimento em couro, espelho interno eletrocrômico, sensor de chuva, acendimento automático dos faróis, lanterna removível, ganchos de reboque, molduras do painel e console em vermelho rubi

Opcionais: Bancos revestidos parcialmente em couro, teto solar panorâmico, sistema de áudio com tela 6.5” touchscreen, Bluetooth, USB e sistema de reconhecimento de voz, sistema de áudio Beats com 8 alto-falantes e subwoofer, banco do motorista com regulagem de posição e lombar elétrica e faróis de xênon.

Pintura metálica: Acréscimo de R$ 1.450.

Preço inicial: R$ 116.900.

Preço com todos os opcionais: R$ 145.050.

 

TRÂNSITO LIVRE

todos

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MotorDream - Rua Barão do Flamengo, 32 - 5º Andar - Flamengo
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22220-080
Telefone: (21) 2286-0020 - Fax: (21) 2286-1555

Copyright © 2017 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.932985, -43.176320
Webroom Soluções Interativas