MotorDream

MotorZine

Novos carros e regulamento da Fórmula 1 para 2014: Impacto profundo

31/01/2014 18:33  - Fotos: Divulgação
Envie por email

Novos carros e regulamento da Fórmula 1 para 2014: Impacto profundo

FIA faz maiores mudanças no regulamento da história da Fórmula 1 de olho na competitividade e segurança dos pilotos

por Igor Macário
Auto Press

De tempos em tempos, a Federação Internacional de Automobilismo, a FIA, promove mudanças no regulamento da Fórmula 1. Um dos objetivos é aumentar a competitividade entre pilotos e equipes. Outro é diminuir os custos dos bólidos. Mas em 2014 a carga de mudanças foi uma das maiores da história da categoria. A entidade divulgou ainda em julho de 2013 diversas novidades, que começam a aparecer com o início da pré-temporada e nos testes de pneus no circuito espanhol de Jerez de La Frontera. Nesse ano, surgiram modificações importantes, como o fim dos motores V8 de 2.4 litros – substituídos por unidades V6 de apenas 1.6 litro com turbocompressor. As mudanças se estendem também ao regulamento desportivo da Fórmula 1, que passam a incluir um sistema de pontos acumulados por infrações cometidas a cada corrida – com 12 pontos um piloto pode ser suspenso da corrida seguinte.

O novo regulamento prevê ainda a redução das horas de testes em túneis de vento e de análise computadorizada dos resultados, para reduzir os custos do projeto dos carros. Com a mudança dos motores, a FIA permitiu a realização dos testes em janeiro, para melhor afinação dos conjuntos. Cada piloto também poderá usar cinco motores durante a temporada e seis caixas de câmbio. No ano passado eram 8 motores e 5 caixas. E qualquer alteração nos propulsores trocados resultará na perda de 10 posições no grid de largada. 

No âmbito técnico, a troca de motores – os V8 foram regulamentados ainda em 2006 – demandou uma elevação em 5 kg no peso mínimo dos propulsores, agora fixado em 145 kg. As unidades de força têm 1.600 cm³ e produzem cerca de 610 cv, com mais 160 cv vindos do sistema de recuperação de energia cinética, o Kers. O peso mínimo total dos carros também subiu, de 642 kg da temporada de 2013 para 690 kg esse ano. Os propulsores têm a rotação máxima limitada a 15 mil rpm e os carros poderão ter o freio traseiro controlado eletronicamente, para permitir o funcionamento mais consistente do Kers.

Esteticamente, os carros de 2014 também estão diferentes. A principal mudança está na diminuição do “degrau” no bico, que dava um aspecto estranho aos carros antigos. O “nariz” também está bem mais baixo. As especificações de resistência a impactos serão definidas por testes estáticos de carga e compressão em vez dos “crash tests” de 2013. As tolerâncias em relação aos materiais, no entanto, foram reduzidas, para garantir mais segurança aos pilotos no caso de colisões. A estrutura básica dos chassis é igual em todos os carros, construída de acordo com padrões estabelecidos pela FIA.

Principais mudanças

Motor – Os propulsores passaram a ser V6 de 1.6 litro turbinados e com injeção direta de combustível, em vez dos antigos V8 de 2.4 litros e aspiração natural. A rotação máxima permitida também caiu dos 18 mil rpm para 15 mil giros, mas a potência combinada – cerca de 760 cv, quando somada a força produzida pelo Kers – foi praticamente mantida. O câmbio passou de sete para oito marchas.

Carroceria – A frente dos carros ficou mais baixa, para proteger pilotos em caso de colisões. Antes, o bico mais alto poderia atingir os pilotos em batidas laterais – onde a carroceria também recebeu reforços. As estruturas também são testadas de maneira diferente, com ensaios estáticos em vez de testes dinâmicos.

Campeonato – Cada piloto está sujeito a um sistema de pontos punitivos. Penalidades cometidas durante as provas são traduzidas numa pontuação válida por um ano – como na Carteira Nacional de Habilitação. A diferença é que com 12 pontos acumulados, o piloto é automaticamente suspenso da corrida seguinte.

Equipes

RBR – O RB10 de Sebastian Vettel e do novato australiano Daniel Ricciardo tem visual mais discreto, com a frente baixa e carenagem com pintura azul escuro predominante – muito parecido com o RB9 de 2013. A frente é pontiaguda e o design geral do modelo da Red Bull Racing é bastante harmônico.

Mercedes-Benz – A alemã foi outra a apostar no estilo mais contido, com linhas fluidas e a tradicional pintura dos “flecha de prata”. Os W05 que serão usados por Lewis Hamilton e Nico Rosberg ainda tem tons verdes na carroceria.

Force India – O modelo VJM07 do time indiano será pilotado em 2014 por Nico Hulkenberg e Sergio Pérez. O monoposto usa motor Mercedes-Benz, cor predominantemente preta e adotou bico estreito, mas bem proeminente.

McLaren – A maior novidade do MP4-29 é o bico fino e que lembra o formato de um nariz. O inglês Jenson Button e o dinamarquês Kevin Magnussen vão pilotar o bólido, que também usa motor Mercedes-Benz.

Caterham – Certamente é o carro com visual mais chamativo da temporada. As linhas retilíneas da frente do CT04 são interrompidas e terminam num bico fino e totalmente desconexo com o restante do carro. O motor é Renault e os pilotos são o japonês Kamui Kobayashi e o estreante sueco Marcus Ericsson.

Williams – O modelo FW36 marca a volta dos motores Mercedes-Benz à escuderia inglesa. O modelo também adota linhas pouco ortodoxas para o bico e será o carro pilotado pelo brasileiro Felipe Massa e pelo finlandês Valtteri Bottas. A equipe ainda não apresentou a pintura final de seu bólido.

Ferrari – O F14 T pilotado por Kimi Haikkonen e Fernando Alonso terá a missão de tentar quebrar o jejum de títulos da equipe italiana. O visual também não é dos mais elaborados esteticamente, com um bico achatado, formado após uma brusca queda das linhas da frente.

Sauber – O C33 da equipe suiça mantém muito do visual de 2013 para este ano e um bico parecido com o de Williams e McLaren. O motor é Ferrari e os pilotos são o mexicano Esteban Gutierrez, mantido de 2013, e o alemão Adrian Sutil.

Toro Rosso – O carro da Toro Rosso trocou os motores Ferrari pelos Renault para a temporada 2014, e conta com o francês Jean-Eric Vergne e o novato russo Daniil Kvyat ao volante. O visual do STR9 é discreto, mas o bico ganhou um apêndice para se adequar às novas regras.

Marussia – O novo MR03 foi outro a mudar o fornecedor de motores. Em vez dos Cosworth de 2013, entram unidades da Ferrari. Os pilotos seguem os mesmos do ano anterior – o francês Jules Bianchi e o inglês Max Chilton.

Lotus – A Lotus apostou num visual mais limpo que as rivais para 2014. O E22 tem o bico dividido e, estranhamente, assimétrico – é ligeiramente maior em um dos lados. Os pilotos são o francês Romain Grosjean e o venezuelano Pastor Maldonado.

Leia mais: Testamento de Schumacher lista herança acima de R$ 3 bilhões

 

TRÂNSITO LIVRE

todos

Comentários

Não há comentários para este artigo.

Para postar comentários é necessário ser cadastrado no nosso site. Deseja se cadastrar gratuitamente?

Motor Dream
MotorDream - Rua Barão do Flamengo, 32 - 5º Andar - Flamengo
Rio de Janeiro - RJ - Cep: 22220-080
Telefone: (21) 2286-0020 - Fax: (21) 2286-1555

Copyright © 2014 - Todos os direitos reservados.
GEO: -22.932985, -43.176320
Webroom Soluções Interativas